Gislaine Pires, Sereia do Rosa nos Tubos da Indo

Gislaine Pires, Sereia do Rosa nos Tubos da Indo

A modelo Gislaine Pires contou numa entrevista para Onda Gringa como voltou a se aproximar do mar e encarou as ondas da Indonésia numa trip incrível, além do seu estilo de vida, com imagens para as marcas de biquínis Hypnotize Fashion Beach e Poliana Finzetto Beach Biquinis. Confira.

Ela caminha numa praia deserta de areias brancas e mar azul. O cabelo loiro e o corpo de sereia chamam a atenção até no próprio paraíso. De volta ao Brasil, aquela miragem é Gislaine. Longe da figura de uma mulher que possa parecer frágil ou vulnerável, a moça de 25 anos é forte, encara uma rotina diária de exercícios e não tem vergonha de transpirar, levando o corpo ao limite, entrando no mar quando as ondas estão grandes.

“Nasci em Imbituba, sou da Praia do Rosa e as lembranças da infância tem por referente o mar. Comecei surfar com pranchinha até uns 15 anos”, lembra Gi. Há dois anos ela voltou para o mar, desta vez com uma prancha de bodyboarding.

OG – Como foi o regresso ao esporte?
GI: “Sempre gostei da sensação de estar dentro do mar. De criança meu primeiro contato com o mar já tinha sido o bodyboard, quanto tinha cinco anos. Queria me divertir e usar as pernas, que é o mais forte no meu corpo. No bodyboarding me encontrei, me divirto, acho um surfe muito bonito.
Nas manobras ela valoriza um drop bem feito e o cutbak, entanto sua preferida é o tubo. “Meu primeiro tubo foi na Cacimba do padre, e o inesquecível foi em Bingin na Indonésia que foram inesquecíveis”, conta entusiasmada.
OG: Como é voltar ao esporte com um namorado surfista?
Meu namorado me apoia bastante. Ele surfa e me deixa também, é um pouco fominha mas me ajuda, quando vem uma boa ele me deixa rsrsr.

OG: Como sentiu o localismo sendo mulher e indo surfar na Indonésia?
Eu me senti mais a vontade em Uluwatu. Acredito que por ser mulher e estar de bodyboarding rolou uma certa empatia. O localismo mais forte senti em Bingin, estava prestes a dropar e um local olhou para mim com cara de poucos amigos, tive que deixar. Esse pico com maré seca fica muito disputado, no entanto pude surfar e estou muito agradecida porque foi demais!

Focada na viagem, Gislaine fez treinamento de apneia e natação para auxiliar. Embora esteja acostumada com esportes aeróbicos como bike e corrida, o conhecimento sobre as exigências do mar na Indo a fizeram se preparar. “Todo o esforço que tive no treino foi recompensado porque o mar é bem pesado. Sempre tive um treino forte. Meu cuidado com corpo é constante por conta das fotos de modelo, o que me obriga a estar sempre de acordo com minha imagem”, disse.

OG: Que lugar ocupa a alimentação na tua ordem de prioridades?
Gi: “Eu adoro comer saudável, meu curso de nutrição já diz muito sobre mim. Estou com o projeto de um blog de culinária porque minha família é ligada à arte da alimentação. Minha irmã tem o restaurante Cheiro Verde na Praia do Rosa, minha mãe e chef do grupo Gerdau e minha vó é cozinheira de mão cheia. Eu vim nesse espírito”.

OG: Que lugares de surfe ou passeio gostaria de conhecer?
Gi: Os próximos destinos são Havaí e Califórnia, que são meus dois próximos sonhos a e se realizarem rsrs.
OG: Como você explicaria a alguém a satisfação que o surfe lhe traz?
Gi: O surfe dá uma incrível sensação de liberdade. Quando você dropa sua primeira onda tudo o que está envolta parece ficar mais perceptível, te trazendo paz.
Acredito que você atrai o que você transmite, e uma das coisas mais importantes é o respeito ao próximo e à natureza. Tem que agradecer quando você entra e quando sai do mar porque é uma força da natureza da qual você não tem controle.
Gislaine encerramento

Para saber mais da modelo e bodyboarder, siga Gi Pires no Instagram AQUI.

Comentários

comentários

Compartilhe