Empreendimento Imobiliário Instala Tubos em Área de Preservação e Destrói Restinga

Empreendimento Imobiliário Instala Tubos em Área de Preservação e Destrói Restinga

A colocação de tubulação na praia do Tabuleiro e a destruição de uma grande faixa da restinga em Área de Preservação Permanente por parte de uma empresa de empreendimentos imobiliários Rôgga foi hoje denunciada através das redes sociais em Barra Velha, no litoral Norte de Santa Catarina. O caso tomou repercussão porque muitos moradores criticaram a ação da empresa, que retirou área de restinga para instalar tubos pluviais na Rua Maria Testoni. O objetivo da empresa é despejar às águas coletadas num mega empreendimento de prédios de luxo numa área equivalente a mais de dois campos de futebol nessa rua anexa aos prédios.

A principal preocupação da população é referente ao impacto dessa vazão de água toda numa rua lindante e que poderia provocar erosão pluvial e posterior erosão marinha ao redor dos prédios próximos, uma pousada e um condomínio de casas. A Rua Maria Testoni já sofreu com erosão pluvial grave anos anteriores por motivo de tubos e chuvas com vazão muito menor ao esperado pelos futuros prédios.

WhatsApp Image 2017-06-30 at 15.26.25

Retroescavadeira trabalhando na tubulação. Foto: onda gringa

A população solicitou aos vereadores do município através das redes sociais a apuração do caso. Os questionamentos apontaram sobre a existência de estudos de impacto ambiental feitos pela empresa ou o município sobre erosão e impacto na faixa de areia.

O planejamento das nove torres com 90 apartamentos prevê a implantação de uma estação de processamento de esgoto que somente despejará a água para a tubulação pluvial após a purificação.

Fontes de Onda Gringa informaram que o caso está sendo analisado pela Secretaria de Planejamento da prefeitura de Barra Velha e pela Fundação Municipal de Meio Ambiente (Fundema). Ainda não foram fornecidas maiores informações.

Autoridades públicas também adiantaram que a retirada na restinga do local estaria infringindo em crime de acordo com o Código do Meio Ambiente.

19554814_457189511307263_3589608533237897303_n

Prefeito Valter Zimmermann fiscalizando a obra. Foto: Divulgação

Num comunicado oficial, foi informado que o prefeito Valter Zimmermann visitou hoje o local junto a uma engenheira da empresa que garantiu que uma caixa de dissipação de energia e distribuição da água está sendo preparada a fim de minimizar os efeitos dos danos já existentes e que no entender de seus técnicos, após estar pronta, a obra vai melhorar o sistema de drenagem da via pública.

Não houve informações referentes à situação da restinga, entanto foi esclarecido que será feita feita uma analise da regularidade da obra. No local da obra não foi colocada nenhuma placa sobre o engenheiro responsável.

Também não foi esclarecido porque a tubulação do prédio passará por uma rua paralela e não sai diretamente nos fundos do empreendimento.

19598451_10206843226559537_344433862164727998_n

Tubulação pluvial instalada. Foto: onda gringa

Moradores próximos do empreendimento ficaram desgostados pela ação da empresa e criticaram: “Acredito que eles são pessoas muito poderosas e fizeram algo que não poderia. Construirão um prédio de 10 andares num local que era lindo e cheio de árvores. Levantarão o terreno em pendente oposta à praia mais de 1,50 metros de altura, sobre uma área de cerca de 23 mil metros quadrados. Toda essa água do condomínio será levada pela Rua Maria Testoni para eles não precisar fazer saídas pluviais pela frente do empreendimento. Ou seja, muito espertos, eles ficam com 230 metros de praia na frente do prédio sem nenhuma saída pluvial porque mandam tudo para as tubulações vizinhas”.

O vereador Marcelo Nogaroli considerou “um absurdo” a retirada da faixa de restinga da praia e através do facebook circularam vídeos de um morador reclamando que a Fundação de Meio Ambiente proibia jogar galhos de poda na praia, mas deixava colocar tubos e retirar restinga com retroescavadeira.

Atualizado> 

O presidente da Câmara de Vereadores de Barra Velha, Alex Sandro Correia dos Santos, o Alex Palmital (PSD), posicionou-se frontalmente contra a obra de esgotamento executada por um condomínio particular em obras às margens da região entre as praias do Tabuleiro e Itajuba, em Barra Velha, que está canalizando para o mar uma tubulação que a princípio, seria de águas pluviais.

Segundo Alex Palmital, a princípio a informação é de que o sistema de esgotamento e destinação pluvial estaria “dentro do que foi acordado”, na gestão anterior. Mesmo assim, Alex e vários vereadores desconfiam de possível irregularidade ambiental. “A forma como a restinga foi retirada para o canal da tubulação, e o tamanho dos tubos dispostos pendurados a poucos metros da beira-mar é no mínimo estranho e até agressivo”, classificou o presidente. A Prefeitura também está contrária à continuidade dessa tubulação.

“Mesmo que o esgoto tenha uma central de tratamento prevista pelo prédio, como foi permitido qualquer tipo de canalização lançada no mar?”, questiona o parlamentar. “Quer dizer então que qualquer proprietário agora poderá desembocar sua tubulação na beira-mar, na orla, deixando esse visual dessa forma?”, completa.

A empresa Rôgga informou num comunicado oficial pela internet que todas as obras possuem autorização.

Informações complementares: Imprensa Câmara de Vereadores-Juvan Souza Neto

 

Compartilhe