• Home »
  • Surf »
  • Eduardo Motta Brilha na 3ª etapa do Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack em Ubatuba (SP)
Eduardo Motta Brilha na 3ª etapa do Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack em Ubatuba (SP)

Eduardo Motta Brilha na 3ª etapa do Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack em Ubatuba (SP)

Na gíria esportiva, ele fez “barba, cabelo e bigode”. Eduardo Motta, de Guarujá, foi o grande nome na 3ª etapa do Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack, encerrada neste domingo (27), na Praia Grande, em Ubatuba. Venceu, com excelência, as categorias júnior (sub18) e mirim (sub16), com direito a comemorar a sua primeira nota dez na carreira.

Também comemoram as vitórias no evento Ryan Coelho, que é do Paraná e mora em São Sebastião, na categoria petit (sub10), Sunnny Pires, de Búzios/RJ, na estreante, sub12, e Luiz Mendes, de Barra do Sul/SC, na iniciante (sub14). Mendes também chegou a duas finais, sendo o terceiro na mirim e assim como Mottinha garantiu um dez unânime na competição.

Pódio Cidades 2 etapa Hang Loose Surf Attack Ubatuba. Foto Munir El Hage

Pódio Cidades 2 etapa Hang Loose Surf Attack Ubatuba. Foto Munir El Hage

Outro atleta que garantiu a nota máxima na disputa foi Roberto Alves, de Santos, quarto na estreante. Por cidades, a disputa foi acirrada, com os “donos da casa” levando a melhor, sobre São Sebastião. Guarujá, mesmo com as duas vitórias de Eduardo Motta, terminou em terceiro lugar.

A competição contou com boas ondas de até 1,5 metro e sol e foi marcada por grandes apresentações. Mas sem dúvida, a grande performance ficou para Eduardo Motta. Há um mês ele estava sem surfar, devido a uma fratura no ombro direito, mas mostrou estar totalmente recuperado e em excelente forma.

Chegou em duas finais e venceu e convenceu em ambas. Na mirim, tirou um 9,5, somando 17 pontos de 20 possíveis, sem ser ameaçado. Nesta final, Daniel Adisaka acabou abanando a disputa, depois de se chocar com a própria prancha e sofrer um corte próximo ao olho esquerdo. Mesmo assim, manteve a liderança do ranking.

Sunny Pires quebrou em Ubatuba. . Foto Munir El Hage

Sunny Pires quebrou em Ubatuba. . Foto Munir El Hage

Depois, na júnior, Mottinha teve como grande rival o atual campeão paulista da categoria, Alax Soares, também de Guarujá. A vitória foi consolidada na terceira onda, com nota 8,40, mas a emoção foi garantida até os momentos decisivos. O catarinense Guilherme Marques, muito bem na etapa, garantiu a melhor nota da bateria, 8,60 e voltou à briga, tentou uma nova onda mas não foi suficiente.

Faltando 15 segundos para o término, Alax pegou uma boa onda de direita, da série, mas caiu. Mesmo assim, a comemoração foi dupla, com os dois surfistas de Guarujá carregados nos ombros. “Estou muito feliz. Fiquei um mês parado e voltei com tudo. Graças a Deus foi tudo certo hoje. Minha estrela brilhou. Esse campeonato vai entrar na história para mim, porque consegui a minha primeira nota dez”, vibrou o surfista da Prainha Branca, de 15 anos.

Alax Soares, que fez a sua terceira final, disparou no ranking e está próximo do bicampeonato estadual, enalteceu a performance do companheiro de cidade. “Tenho de destacar o Dudu que foi um monstro hoje. Voltando de lesão séria e surfou muito”, comentou o segundo colocado.

O catarinense Luiz Mendes deu um show de surfe. Foto: Munir El Hage

O catarinense Luiz Mendes deu um show de surfe neste floater no crítico. Foto: Munir El Hage

Quem também festejou muito foi Luiz Mendes. Na primeira final do dia deu um show, com notas nove e 8,15, para chegar aos 17,15. O cearense Cauã Costa chegou perto e terminou com 16 pontos. Depois ainda fez a final da mirim, terminando em terceiro. “Quando vi o mar, sabia que podia chegar nas duas finais. Só não esperava tantas notas altas, incluindo o dez. Estou muito feliz, porque estava sempre batendo na trave e soltei meu surf para ser campeão”, disse o atual líder do Brasileiro na categoria.

Na estreante, Sunny Pires foi outro talento comemorando. Na final, ele teve uma disputa boa contra o atual campeão paulista da categoria, Ryan Kainalo, de Ubatuba. Saiu na frente, viu o rival assumir o primeiro lugar e já na areia recebeu a notícia da virada. “Nunca fiquei tão nervoso, nem tinha conseguido uma virada dessas. Foi irado. Gostei muito, porque esse é o melhor campeonato do Brasil”, falou o simpático Sunny, de 12 anos. No ranking, Guilherme Fernandes, de Ubatuba, segue na ponta.

Ryan Coelho também teve seu lugar no pódio do Hang Loose Surf Attack Ubatuba .Foto Munir El Hage

Ryan Coelho também teve seu lugar no pódio do Hang Loose Surf Attack Ubatuba .Foto Munir El Hage

Já na petit, o catarinense Antonio Vitorino liderou boa parte da bateria, mas Ryan garantiu uma boa onda no finalzinho, suficiente para garantir a sua primeira vitória no Paulista. “Quero agradecer a Deus, aos meus pais, meus patrocinadores e meu técnico, o Alex Leco, que entrou no mar comigo e me deu segurança”, destacou o envergonhado Ryan, de dez anos, que se mudou do Paraná para Maresias, para integrar o Instituto Gabriel Medina. No ranking, Murillo Coura, seu companheiro de Instituto, é o líder, empatado com Daniel Duarte, de Bertioga.

Se no mar, os surfistas deram grandes shows nas ondas, na areia a festa foi grande também entre as torcidas das cidades e nas brincadeiras realizadas pela Hang Loose, comandadas por Julio Ozório, o Bro, como cabo de guerra, futebol, pebolim e ping pong, além da distribuição de brindes e a pintura de pranchas, com Jefferson Guedes, o Jeffinho.

Os resultados completos da etapa, bem como rankings estão disponíveis no link hangloose.com.br/surfattack2017 e no site da Federação Paulista de Surf, o www.fpsurf.com.br. A quarta e última etapa do Circuito está marcada para os dias14 e 15 de outubro, em Guarujá.

Sunny PIres terrível nas direitas. Foto: Munir EL Hage

Sunny PIres terrível nas direitas. Foto: Munir EL Hage

O Nossolar Construtora apresenta Hang Loose Surf Attack 2017 tem a organização da Federação Paulista de Surf, com patrocínios de Overboard Action Sports Store, Surftrip, Super Tubes e Hot Water. Copatrocínios de Rhyno Foam, CT Wax. Apoios:  Governo do Estado de São Paulo, prefeituras de Santos, Guarujá, São Sebastião e Ubatuba, Associação Santos de Surf, Associação de Surf de Guarujá, Associação de Surf de São Sebastião e Associação Ubatuba de Surf. Divulgação: Waves e FMA Notícias.

RESULTADOS DA 3ª ETAPA 

CATEGORIA JÚNIOR (ATÉ 18 ANOS)

1 Eduardo Motta – Guarujá

2 Alax Soares – Guarujá

3 Guilherme Marques – SC

4 João Pedro Costa – São Sebastião

CATEGORIA MIRIM (ATÉ 16 ANOS)

1 Eduardo Motta – Guarujá

2 Wallace Vasco – SC

3 Luiz Mendes – SC

4 Daniel Adisaka – Ubatuba

CATEGORIA INICIANTE (ATÉ 14 ANOS)

1 Luiz Mendes – SC

2 Cauã Costa – CE

3 Diego Aguiar – Ubatuba

4 Kainan Meira – PR

CATEGORIA ESTREANTE (ATÉ 12 ANOS)

1 Sunny Pires – RJ

2 Ryan Kainalo – Ubatuba

3 Guilherme Fernandes – Ubatuba

4 Roberto Alves – Santos

CATEGORIA PETIT (ATÉ 10 ANOS)

1 Ryan Coelho – PR

2 Antonio Vitorino – SC

3 Anuar Chiah – PR

4 Ryan Araújo – Guarujá

CIDADES

1 Ubatuba

2 São Sebastião

3 Guarujá

4 Praia Grande

RANKING APÓS 3 ETAPAS

CATEGORIA JÚNIOR (ATÉ 18 ANOS)

1 Alax Soares – Guarujá – 2.610

2 Wallace Vasco – SC – 2.011

3 Ihgor Sant’Ana – Guarujá – 1.961

4 Kauã Terra – Ubatuba – 1.522

CATEGORIA MIRIM (ATÉ 16 ANOS)

1 Daniel Adisaka – Ubatuba – 2.159

2 Eduardo Motta – Guarujá – 2.000

3 Fernando John John – São Sebastião – 1.843

4 Wallace Vasco – SC – 1.790

CATEGORIA INICIANTE (ATÉ 14 ANOS)

1 Cauã Costa – CE – 2.629

2 Diego Aguiar – Ubatuba – 2.466

3 Caio Costa – São Sebastião – 2.160

4 Luiz Mendes – SC – 1.860

CATEGORIA ESTREANTE (ATÉ 12 ANOS)

1 Guilherme Fernandes – Ubatuba – 2.276

2 Roberto Alves – Santos – 2.056

3 Ryan Kainalo – Ubatuba – 1.900

3 Sunny Pires – RJ – 1.900

CATEGORIA PETIT (ATÉ 10 ANOS)

1 Murillo Coura – São Sebastião – 2.556

1 Daniel Duarte – Bertioga – 2.556

3 Ryan Coelho – PR – 2.539

4 Anuar Chiah – PR – 1.896

CIDADES

1 Ubatuba – 2.800

2 São Sebastião – 2.710

3 Guarujá – 2.620

4 Praia Grande – 1.975

Compartilhe