Safra da Tainha 2017 É Antecipada para 1º de Maio

Safra da Tainha 2017 É Antecipada para 1º de Maio

Os pescadores artesanais começarão neste ano a pesca da tainha com 15 dias de antecedência em relação a 2016. A liberação do defeso, que ano passado foi de 15 de maio a 31 de junho, inicia a partir do dia 1º de maio.

Os dias extra foram comemorados pelos pescadores artesanais que ano passado tiveram um aumento na safra porque começaram antes que os barcos de pesca industriais. Esse período beneficiou a industria artesanal que agora ganhará mais um folego contra os grandes barcos catarinenses, que são a principal frota pesqueira do país, e que na maioria dos casos nem deixam chegar os grandes cardumes de tainha na costa.

A aproximação do peixe para a costa tem por finalidade principal a desova e reprodução para crescimento da espécie. Se a tainha não desova em rios, lagoas e estuários ela perde a cada ano população.

A pesca da tainha começa com a chegada do frio, quando os cardumes vêm em busca de águas mais quentes. Os pontos de partidas são o litoral do Rio Grande do Sul e a bacia do Rio da Prata, entre Uruguai e Argentina, grandes berçários do peixe.

pesca-tainha-2 marco bocão decom

Pescadores de Laguna na safra de 2016, voltando carregados na barra. Foto: Marco Bocão

Mais de 50% dos cardumes não costumam chegar até o Rio de Janeiro, acabam nas redes dos pescadores catarinenses. As tainhas são vistas em cardumes, pois é uma característica da fecundação, onde as fêmeas lançam os óvulos no mar e se encontram com os espermatozoides por acaso, por isso, elas nadam tão juntas.

No ano passado, na praia do Farol de Santa Marta, em Laguna, em um único dia foram capturadas cerca de 40 toneladas de peixes em um só lance de rede. A expectativa sete ano é de capturar mais de 2 mil toneladas de peixe até o fim da safra.

Além dos costões, a tainha poderá ser capturada tradicionalmente nos Molhes da Barra de Laguna, onde pescadores e botos ficam na espera. O vento sul soprando ajuda na entrada do peixe no canal. Tarrafas com mais de 80 peixes podem ser vistas sendo tiradas da água para felicidade dos pescadores e turistas. O preço da tainha chega a custar de R$ 10 até R$ 15, dependendo do tamanho e peso. Caso seja ovada é mais cara, considerada uma iguaria na mesa dos lagunenses.

Em Santa Catarina, a captura industrial só pode ocorrer a partir de 5 milhas da costa. A artesanal ocupa desde a praia até três milhas mar adentro. As limitações foram impostas, após um acordo com o Ministério Público Federal, numa tentativa de proteger a espécie.

Com informações da Prefeitura de Laguna e Adjori SC

Foto destaque G1/Elvis Palma

Foto Capa. Marco Bocão

Comentários

comentários

Compartilhe