• Home »
  • »
  • Bodyboarder Alejandra Altuve conquistando as ondas perfeitas

Bodyboarder Alejandra Altuve conquistando as ondas perfeitas

Com garra, Alejandra evolui nas melhores ondas do mundo. Foto: Craig Sand
Atleta Destaque-Venezuela 
O contato com o mar e as ondas é para a bodyboarder venezuelana Alejandra Altuve um sentimento muito mais profundo do que a prática esportiva com alto rendimento. A união de corpo e alma que a surfista tem com o oceano nasceu quando ela ainda era uma criança e hoje a acompanha no desafio de disputar o Circuito Mundial de Bodyboarding – o IBA World Tour.  
Sendo uma das principais riders do mundo em participar no mais importante campeonato desta modalidade, Alejandra contou com exclusividade para Onda Gringa as origens no mundo do bodyboarding, sua evolução e suas metas neste ano. 
Hoje ela espera em Portugal o início da penúltima etapa do Circuito, o Sintra Portugal Pro. 
Confira a entrevista e assista o mais novo vídeo da bodyboarder que é considerada a terceira bodyboarder mais sexy do mundo…
                     Representar Venezuela na elite demanda comprometimento. 
Entrevista
1 – Nome, idade e cidade de origem.
Alejandra Altuve – Caracas, Venezuela
2 – Lugar de residência atual.
Aviões, aeroportos, o mar, jejeje.. e como ponto de chegada e saída: Caracas e San Antonio de los Altos (Venezuela).
3 – Como surgiu o amor pelo e como foi sua primeira experiência com as ondas?
O amor pelo mar sempre tem estado presenta na minha vida, desde que estava na barriga da minha mãe com toda certeza. Ela me transmitiu todo esse amor pelo mar, a natureza e a prática esportiva. Também foi através do meu avô, que durante minha infância na nossa casa de Praia, me incentivou a construir essa relação com o oceano, que durará para sempre e espero poder transmitir a minha família no futuro.
Minha primeira experiência com as ondas foi desde muito pequena, porque a somente alguns metros da nossa casa em “El PLayón” está o pico conhecido como “La Punta”, uma praia com história no surfing venezuelano que possui ondas fortes e correntezas exigentes. Lembro que com somente seis anos de idade gostava de entrar nos close-outs na beira. Olhava como a galera surfava e queria ser parte disso. Sentia aquilo como um amor platônico.
Corpo treinado a base de ondas, ioga e funcional. Foto: Craig Sand

4 – Quando começou a paixão pelo bodyboarding e surgiu a carreira profissional?

Tudo aconteceu sem perceber, era uma free surfar que madrugava religiosamente para cair na água cada vez que podia. Nunca teve dúvida de que o mar era meu lugar favorito e que as ondas eram um veículo para um estado de felicidade inexplicável. Meu amor pelo mar era o motor de muitas metas e logros. Cada nova aventura alimentada a vontade da próxima. Somente conseguia pensar em trabalhar e poupar para viajar pelo mundo para pegar as melhores ondas, e sobre tudo, me preparar para aquilo. Acredito que foi ae que gradativamente fui me convertendo numa atleta profissional (hoje sigo trabalhando para melhorar meu acondicionamento físico).

      Alejandra entubando nas direitas de Ehukai, Havaí. Foto: Mike Latronic
No Tour
Em 2009 comecei a participar do tour mundial da IBA (International Bodyboarding Association) com poucas manobras no display, porém com muita vontade de aprender todos os dias e muita garra pra entrar na luta sem patrocínio. Isso seria somente o começo de um percurso maravilhoso. Somente tinha o apoio de Alberto (Colucci), da minha família e da minha amiga Farid Tuirán – da Wahine Beachwear, que depois seria minha primeira patrocinadora. Tal vez que teu namorado seja um dos melhores pro-bodyboarders e big-riders pode abrir uma perspectiva competitiva significativa para construir o que hoje em dia é minha carreira profissional. 

Todos esses fatores juntos com minha constância, o amor que sinto pelo que faço e a confiança nas minhas metas e em mim mesma, precederam a chegada do apoio que preciso para viver o sonho de ser parte do IBA tour. Minhas potencialidades também são aplicadas através de projetos de responsabilidade social.

5 – Que lugares do mundo você já conheceu ao longo da tua carreira?
Costa Rica, Panamá (Pacífico y Bocas del Toro), Nicarágua, Colômbia, Brasil, Aruba, Puerto Rico, Estados Unidos, Portugal, País Vasco, Espanha, Ilhas Canarias (Tenerife y Gran Canaria), Ilhas Açores (Terceira), Hawaii (O’ahu & Kaua’i) e Australia.
6 – qual é tua onda preferida?
É muito difícil ter uma onda preferida, mas posso nomear algumas ondas com as que tive certa química e as quais sempre voltarei, não é somente pela onda em si, mas também pelos lugares onde estão: Cuyagua e secret-spots dos Roques (Venezuela), Marbella & Hermosa (CR), Salt Creek (Southern CA), La Guancha & El Confi (LP, GC), Off the Wall, Backdoor & Pipe, V-Land, Ehukai sand bars quando estão “on” e Ala Moana Bowl’s (hawaiian summer).

             Beleza e sensualidade antes de depois do treino. Foto: Craig Sand
Impressões
7 – Um momento inesquecível?
Nunca vou esquecer uma sessão épica que teve recentemente num lugar muito crowdeado em O´ahu, o summer´s Pipe. Num point breack reconhecido mundialmente pela qualidade dos seus tubos amplos e perfeitos. Estava no line-up esperando as ondas entrarem e de repente Derek Ho me diz: “Em 20 segundos está chegando a serie do dia”. Olhei para o horizonte e um poucos segundos vi como se levantou uma línea perfeita. Estava chegando aquela série única pela que todos havíamos estado esperando. Derek me gritou: “Vai, Vai, esse é teu presente do quatro de julho! (dia pátrio nos Estados Unidos)”. Nunca vou esquecer daquela onda, grande, perfeita, poderosa e em harmonia comigo. Definitivamente era um presente que chegava de uma energia celestial, pois nesse mesmo dia, sem eu saber, morreu minha avô, um anjo que nos enviou ondas mágica e perfeitas, com momento únicos para nunca esquecer: Dia 04 de julho em Ala Moana Bowl´s, no verão havaiano.

8 – Um sonho a cumprir?
Tenho vários, porém os mais significativos nesta etapa da minha vida são levantar a bandeira da Venezuela no primeiro lugar em algum lugar do mundo, fazem uma viagem para Indonésia, incluindo as Mentawaii, polinésia e Filipinas sem agenda, e ter uma família linda na casa dos meus sonhos (se for perto do mar e no Hawaii só me restaria pedir saúde “Dream Big ou Go Home!! Jejej).

9 – Além de bodyboarding, como você complementa os treinos?

Realizo um treinamento funcional personalizado com o apoio do Estúdio de Treinamento Re Training (http://www.retraining.com.ve/), duas ou três vezes por semana, onde realiza através do Tag Fusion atividades de fortalecimento geral e específicas para bodyboarding.. (http://www.facebook.com/pages/TAG-FUSION/212646405421840) Ángel Ruídiaz, Gabriel Devenichs e Tomás Marín, eles são o pilar fundamental da minha rotina de acondicionamento físico, onde trabalhamos com TRX, ligas, bolas medicinais, bola bosu, bola suíça, indo board, discos de estabilidade, e outras ferramentas. Recentemente comecei a praticar Aeroioga com a reconhecida OM-Trainer Natascha Carrasco (http://www.facebook.com/pages/OM-trainer/169832336449124).

Alejandra  desenvolve projetos de responsabilidade social. Foto: Craig Sand
10 – Comida sadia preferida
Gosto de granola, açaí, comida tailandesa, comida peruana e alguns sabores do Hawaii, furtos do mar, sushi e claro a comida da minha mãe que é a melhor preparando saladas. Obrigada Mãe!.
11 – Metas para esta temporada.
Profissionalmente quero estar no top 16 do Mundo no final do circuito de 2012, além de tentar mais aéreos e manobras diferentes e treinar em ondas grandes, além de desenvolver projetos de responsabilidade social.
13 – Patrocinadores.
Deus (quem me abre as portas), Pasta Morandi, Re training, TAG Fusion, Fátima Spa & Wahine.

Comentários

comentários

Compartilhe