Quiksilver Pro France começa e para após a segunda bateria do dia

Quiksilver Pro France começa e para após a segunda bateria do dia

A terça-feira amanheceu com ondas desafiadoras de 6-8 pés na praia Les Culs Nus para dar a largada no Quiksilver Pro France em Hossegor. No entanto, as condições do mar se deterioraram rapidamente pela força do vento e a comissão técnica decidiu cancelar a competição para o restante do dia. Só foram realizadas duas baterias e uma nova chamada foi marcada para as 8h00 da quarta-feira na França, 3h00 da madrugada pelo fuso horário de Brasília. O primeiro confronto do próximo dia vai marcar a estreia do Brasil no nono desafio do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, com o potiguar Jadson André enfrentando o sul-africano Jordy Smith e o australiano Kai Otton.

Nat Young (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Nat Young (Foto: Kelly Cestari – WSL)

Nesta rodada inicial, os vencedores das baterias passam direto para a terceira fase, mas os perdedores têm outra chance de classificação nos duelos homem a homem da primeira rodada eliminatória do Quiksilver Pro France, que tem prazo até 15 de outubro para ser encerrado na França. As primeiras vitórias foram conquistadas pelo norte-americano Nat Young e pelo havaiano Keanu Asing, Eles derrotaram os cabeças de chave das duas únicas baterias disputadas na terça-feira na praia Les Culs Nus de Hossegor.

Nat Young começou bem a sua bateria, surfando um tubo profundo de backside numa sólida direita, saindo limpo para executar mais duas manobras e ganhar nota 7,17 dos juízes, a maior do dia. Depois, o californiano só conseguiu pegar mais uma onda que valeu 3,83 para vencer por 11,00 pontos. O campeão mundial Joel Parkinson ficou em segundo lugar com apenas 6,47 e o também australiano Matt Banting terminou em último com 3,43 nas duas notas computadas.

“Até tinham boas ondas lá fora, mas a questão era encontra-las, porque a condição está bem difícil”, disse Nat Young, primeiro classificado para a terceira fase do Quiksilver Pro France. “Eu comecei a bateria pegando uma boa onda logo no início e eu sabia que tinha que aproveitar o máximo dela porque estava complicado encontrar uma boa onda em 30 minutos, duas então era quase impossível. Eu peguei a maior prancha que trouxe para cá, era uma marca nova e eu sabia que ela ia funcionar bem, então estou feliz que deu tudo certo”.

Na segunda bateria, o havaiano Keanu Asing bateu o onze vezes campeão mundial Kelly Slater e o também americano Kanoa Igarashi. O mar já estava bem mais difícil e poucas ondas boas entraram para os três competidores. Asing teve mais sorte e conseguiu somar notas 4,83 e 3,17 para vencer por apenas 8,00 pontos. Slater ainda surfou a melhor onda da bateria, mas acabou computando 1,73 com o 5,27 recebido nela e terminou em segundo com 7,00 pontos. Já Kanoa Igarashi não pegou nada e ficou em último com 1,50.

Keanu Asing (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Keanu Asing (Foto: Kelly Cestari – WSL)

“Estou feliz porque finalmente consegui vencer o Kelly (Slater) pela primeira vez”, disse Keanu Asing.“As ondas estão muito complicadas e está muito difícil de remar lá para fora. Se o onze vezes campeão do mundo não conseguiu encontrar uma nota 2,00 para me vencer, isso já diz tudo como estava o mar. Mas, eu realmente procurei concentrar apenas em mim e no que eu precisava fazer para vencer a bateria, mas foi bem difícil competir nessa condição aqui hoje”.

Depois destas duas baterias, a comissão técnica da World Surf League decidiu cancelar a continuação da primeira fase devido às péssimas condições do mar em Hossegor. Os confrontos seguintes iriam marcar a estreia dos quatro surfistas que vão brigar pela ponta do ranking no Quiksilver Pro France, então as ondas precisam mesmo estar melhores para isso. O primeiro a entrar no mar no próximo dia é o quarto colocado, Jordy Smith, junto com o brasileiro Jadson André e o australiano Kai Otton.

Depois, entra o número 3 do ranking, Matt Wilkinson, com outro brasileiro, Miguel Pupo, e um dos convidados da etapa francesa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, o italiano Leonardo Fioravanti, que lidera o ranking do WSL Qualifying Series. Na quinta bateria, a terceira do próximo dia, o campeão mundial Gabriel Medina começa a defender o título do Quiksilver Pro France contra o havaiano Dusty Payne e o australiano Ryan Callinan. E na sexta, o havaiano John John Florence entra com a lycra amarela de número 1 do Jeep WSL Leader, junto com o californiano Conner Coffin e o outro convidado, o francês Joan Duru.

Jadson Andre (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Jadson Andre (Foto: Kelly Cestari – WSL)

BRIGA PELA PONTA – Para Medina, a condição mínima para tirar a primeira posição de John John Florence na França é chegar nas quartas de final, desde que o havaiano não vença nenhuma bateria em Hossegor. Se o havaiano ganhar uma, o brasileiro só o ultrapassa nas semifinais. E se Florence passar mais uma bateria e chegar na quarta fase ou até nas quartas de final, já obriga Medina a vencer o Quiksilver Pro France para superar sua pontuação.

John John garante a dianteira na corrida do título mundial se chegar nas semifinais, mesmo que Medina conquiste sua terceira vitória na França. Os outros dois concorrentes também terão que torcer para o havaiano não avançar na competição. Florence acaba com as chances de Jordy Smith se vencer duas baterias, ou seja, se passar para a quarta fase. E tira Matt Wilkinson da briga pela ponta do ranking na França se chegar nas quartas de final.

ROXY PRO FRANCE – Diferente da categoria masculina, o título mundial feminino já poderá ser decidido no Roxy Pro France. A australiana Tyler Wright tem a chance de ser consagrada como campeã do Samsung Galaxy World Surf League Women´s Tour 2016, antes mesmo da etapa final na ilha de Maui, no Havaí. Sua única concorrente é a norte-americana Courtney Conlogue, que precisa vencer a etapa francesa para continuar na briga. As duas buscam o seu primeiro título mundial e Tyler Wright é bicampeã nas duas últimas edições do Roxy Pro, aumentando o favoritismo da australiana para garantir o caneco de número 1 do mundo antes da grande final no Havaí.

O Quiksilver Pro France e o Roxy Pro France serão transmitidos ao vivo de Hossegor pelo www.worldsurfleague.com com divulgação também dos parceiros de mídia da World Surf League: ESPN, Globosat e Sportv no Brasil, Fox Sports da Austrália, CBS Sports dos Estados Unidos, Edgesport, Sky NZ, Canal + Deportes, Channel Nine, MCS, Starhub e Oceanic Time Warner Cable 250 & 1250 no Havaí.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO QUIKSILVER PRO FRANCE – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

1.a: 1-Nat Young (EUA)=11.00, 2-Joel Parkinson (AUS)=6.47, 3-Matt Banting (AUS)=3.43

2.a: 1-Keanu Asing (HAV)=8.00, 2-Kelly Slater (EUA)=7.00, 3-Kanoa Igarashi (EUA)=1.50

———–ficaram para abrir o próximo dia:

3.a: Jordy Smith (AFR), Jadson André (BRA), Kai Otton (AUS)

4.a: Matt Wilkinson (AUS), Miguel Pupo (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)

5.a: Gabriel Medina (BRA), Dusty Payne (HAV), Ryan Callinan (AUS)

6.a: John John Florence (HAV), Conner Coffin (EUA), Joan Duru (FRA)

7.a: Adrian Buchan (AUS), Stu Kennedy (AUS), Jeremy Flores (FRA)

8.a: Italo Ferreira (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Alex Ribeiro (BRA)

9.a: Julian Wilson (AUS), Caio Ibelli (BRA), Alejo Muniz (BRA)

10: Kolohe Andino (EUA), Sebastian Zietz (HAV), Jack Freestone (AUS)

11: Filipe Toledo (BRA), Josh Kerr (AUS), Davey Cathels (AUS)

12: Adriano de Souza (BRA), Michel Bourez (TAH), Adam Melling (AUS)

PRIMEIRA FASE DO ROXY PRO FRANCE – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

1.a: Johanne Defay (FRA), Sally Fitzgibbons (AUS), Keely Andrew (AUS)

2.a: Tatiana Weston-Webb (HAV), Sage Erickson (EUA), Lakey Peterson (EUA)

3.a: Tyler Wright (AUS), Bianca Buitendag (AFR), Chelsea Tuach (BRB)

4.a: Courtney Conlogue (EUA), Nikki Van Dijk (AUS), Bronte Macaulay (AUS)

5.a: Carissa Moore (HAV), Laura Enever (AUS), Alessa Quizon (HAV)

6.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Coco Ho (HAV)

 

Comentários

comentários

Compartilhe