Brasileira Andrea Moller é vice-campeã no WSL Big Wave de Jaws no Havaí

Brasileira Andrea Moller é vice-campeã no WSL Big Wave de Jaws no Havaí

A brasileira Andrea Moller surpreendeu com o vice-campeonato na segunda etapa do World Surf League Big Wave Tour, disputada em ondas gigantes passando dos 10 metros de altura na segunda-feira em Jaws, no Havaí. Ela enfrentou as condições desafiadoras do mar duas vezes e só perdeu o título do Jaws Challenge para a experiente big-rider Keala Kennelly. Mas, superou as outras duas havaianas da bateria final, além de uma francesa e uma norte-americana.

A segunda-feira amanheceu com as previsões de ondas enormes no Havaí se confirmando, com o swell atingindo especialmente a ilha de Oahu. As condições estavam extremas fechando tudo em Sunset Beach e a segunda fase da Vans World Cup foi adiada para as 7h00 da terça-feira, 15h00 no horário de verão do Brasil. Mas, foi ligado o sinal verde para rolar o Jaws Challenge e a expectativa era de o mar ir subindo, com as séries ficando em impressionantes 40-50 pés no decorrer da segunda-feira.

Andrea Moller (Foto: @WSL / Hallman)

Então, foi decidido começar o dia com as meninas enquanto as condições não ficavam tão extremas. Mas, de manhã, também eram desafiadoras em Pe´ahi, mais conhecida como Jaws. As dez big-riders foram divididas em duas baterias. As três melhores em cada se classificaram para a final e a brasileira Andrea Moller quase conquista o título do Jaws Challenge. Ela perdeu por pouco, 8,61 a 7,97, para a experiente Keala Kennelly e repetiu o vice-campeonato de Lucas “Chumbo” Chianca semanas atrás no Nazaré Challenge em Portugal.

O niteroiense foi o campeão desta etapa em Nazaré no ano passado e é o único brasileiro entre os 24 participantes do Jaws Challenge. Eles foram divididos em quatro baterias na primeira fase, que seria realizada logo após a decisão do título feminino. Porém, só rolou a primeira, com o havaiano Billy Kemper pegando uns tubaços para vencer por 19,01 pontos. O sul-africano Grant Baker passou para as semifinais em segundo lugar e o australiano Russell Bierke em terceiro. Os outros três saíram da briga pelo título em Jaws.

Lucas Chumbo ia estrear na bateria seguinte, mas as condições do mar estavam ficando muito difíceis e ela acabou adiada para as 7h00 da terça-feira no Havaí, 15h00 no horário de verão do Brasil. Seus primeiros adversários são o basco Natxo Gonzalez que ficou em terceiro na final com ele no Nazaré Challenge de Portugal, o norte-americano Jojo Roper e os havaianos Shane Dorian, Nathan Florence e Albee Layer. Os três primeiros colocados irão disputar três vagas para a grande final com Billy Kemper, Grant Baker e Russell Bierke, classificados para a primeira semifinal na única bateria disputada na segunda-feira.

FINAL FEMININA – Já as finalistas da categoria feminina enfrentaram as ondas gigantes e desafiadoras de Jaws duas vezes. As condições estavam pesadas para as mulheres e poucas conseguiram completar o drop nas paredes de mais de 10 metros de altura. Na grande final, as únicas que pegaram duas ondas, ficaram em primeiro e segundo lugar. No WSL Big Wave Tour, a maior nota é multiplicada por dois e o resultado somado com a segunda melhor onda.

Keala Kennelly (Foto: @WSL / Hallman)

O 2,97 recebido por Keala Kennelly na segunda e última que surfou, decidiu a vitória por uma pequena diferença de 8,61 a 7,97 pontos. Andrea Moller começou com uma nota parecida, 2,90, que dobrou para 5,80 com a multiplicação. Depois, conseguiu 2,17 na outra onda que pegou, abaixo do 2,67 da primeira da havaiana.

A maior nota da final quem conseguiu foi Emily Erickson, mas o 3,93 foi a única porque não foi mais em nenhuma onda e terminou em terceiro com 7,86 pontos. A também havaiana Paige Alms ficou em quarto com 4,01, enquanto a francesa Justine Dupont e a americana Bianca Valenti dividiram o quinto lugar por terem ficando com zero ponto, sem nenhuma onda na bateria.

SEMIFINAIS – Isso também tinha acontecido nas duas primeiras do dia. As condições estavam realmente muito difíceis para as mulheres competirem, mesmo com as participantes tendo experiência e coragem para encarar ondas enormes num mar gigantesco e assustador, como o da segunda-feira no Havaí.

Na bateria que abriu o Jaws Challenge, a vice-campeã Andrea Moller se classificou para a final por ter arriscado dropar uma onda. Ela logo caiu da prancha, mas ganhou um pontinho pela atitude e o terceiro lugar, pois a também brasileira Raquel Heckert e a havaiana Jamilah Star, não surfaram nenhuma e foram eliminadas com zero ponto.

Na segunda semifinal, outra big-rider brasileira, Silvia Nabuco, igualmente não conseguiu pegar ondas na bateria, assim como a mexicana Isabelle Leonhardt. E a campeã Keala Kennelly também passou raspando para a final, com duas ondas de menos de 1,5 ponto. As outras duas classificadas só surfaram uma e a havaiana Emily Erickson venceu com nota 4,0, com a americana Bianca Valenti passando em segundo com 2,90 na única dela.

O Jaws Challenge está sendo transmitido ao vivo do Havaí pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo e Facebook Live da World Surf League. A primeira chamada da terça-feira para a segunda bateria da primeira fase masculina, encabeçada pelo brasileiro Lucas Chumbo, é as 7h00 no Havaí, 15h00 no horário de verão do Brasil.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————————————

João Carvalho – Assessoria de Imprensa da WSL South America – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————————————

FINAL FEMININA DO JAWS CHALLENGE NO HAVAÍ:

Campeã: Keala Kennelly (HAV) por 8,61 pontos – notas (2,97×2) + 2,67

Vice-campeã: Andrea Moller (BRA) com 7,97 pontos – (2,90×2) + 2,17

Terceiro lugar: Emily Erickson (HAV) com 7,86 pontos – (3,93x) + 0,00

Quarto lugar: Paige Alms (HAV) com 4,01 pontos – (1,67×2) + 0,67

Quinto lugar: Justine Dupont (FRA) com 0,00 ponto – nenhuma onda

Quinto lugar: Bianca Valenti (EUA) com 0,00 ponto – nenhuma onda

SEMIFINAIS – 1.a, 2.a e 3.a=Final / 4.a=7.o lugar / 5.a=9.o lugar:

1.a: 1-Justine Dupont (FRA)=12.50, 2-Paige Alms (HAV)=8.66, 3-Andrea Moller (BRA)=2.00, 4-Jamilah Star (HAV)=0,00, 4-Raquel Heckert (BRA)=0,00

2.a: 1-Emily Erickson (HAV)=8.00, 2-Bianca Valenti (EUA)=5.80, 3-Keala Kennelly (HAV)=4.23, 4-Isabelle Leonhardt (PRT)=0,00, 4-Silvia Nabuco (BRA)=0,00

PRIMEIRA FASE MASCULINA DO JAWS CHALLENGE:

——-– 1.o, 2.o e 3.o=Semifinais / 4.o=13.o lugar / 5.o=15.o lugar / 6.o=17.o lugar:

1.a: 1-Billy Kemper (HAV)=19.01, 2-Grant Baker (AFR)=15.26, 3-Russell Bierke (AUS)=10.87, 4-Mark Healey (HAV)=10.14, 5-Alex Botelho (PRT)=6.24, 6-Ryan Hipwood (AUS)=4.20

——-– ficaram para abrir a terça-feira:

2.a: Lucas Chianca (BRA), Natxo Gonzalez (ESP), Nathan Florence (HAV), Jojo Roper (EUA), Albee Layer (HAV), Shane Dorian (HAV)

3.a: Kai Lenny (HAV), Makuakai Rothman (HAV), Tom Lowe (ING), Will Skudin (EUA), Koa Rothman (HAV), Aaron Gold (HAV)

4.a: Ian Walsh (HAV), Jamie Mitchell (AUS), Greg Long (EUA), João de Macedo (PRT), Francisco Porcella (FRA), Tyler Larronde (HAV)

 

Texto: João Carvalho

Comentários

comentários

Compartilhe