Peterson Crisanto é o campeão do QS 10000 Ballito Pro

Peterson Crisanto é o campeão do QS 10000 Ballito Pro

O paranaense Peterson Crisanto faturou o título da primeira etapa com pontuação máxima do WSL Qualifying Series 2018 e saltou da 42.a para a primeira posição no ranking que classifica dez surfistas para a elite dos top-34 da World Surf League. No sábado decisivo do QS 10000 Ballito Pro nas ondas de Willard Beach, o campeão ganhou o duelo brasileiro com o paulista Thiago Camarão pelas quartas de final, depois bateu o havaiano Seth Moniz que tinha assumido a liderança do ranking na sexta-feira e na grande final derrotou o australiano Jack Freestone. Esta foi a quarta vitória verde-amarela na temporada e o Brasil segue ocupando metade das vagas do G-10 para o CT de 2019.

Peterson Crisanto (Foto: @WSL / Kelly Cestari)
“Eu nem consigo acreditar que ganhei este campeonato e estou muito feliz porque é a maior vitória da minha carreira”, disse Peterson Crisanto. “Dois anos atrás, eu perdi meu patrocinador principal e fiquei só competindo no Brasil para juntar dinheiro para poder viajar. Foram tempos difíceis, mas segui trabalhando forte para conseguir meus objetivos. Estou muito feliz por estar de volta ao Circuito Mundial, competindo contra os melhores surfistas do mundo e ganhar a quinquagésima edição deste evento é muito especial para mim”.

O mar melhorou bastante no último dia em Willard Beach para fechar a histórica edição número 50 do Ballito Pro. Apesar dos longos intervalos entre as séries no sábado, quando elas vinham, proporcionavam boas condições para os surfistas mostrarem todo o seu talento. Na grande final, as primeiras ondas só foram surfadas depois de 8 minutos, com Peterson Crisanto largando na frente com notas 5,50 e 8,73 para liderar toda a bateria.

Jack Freestone (Foto: @WSL / Kelly Cestari)
O australiano Jack Freestone entrou na briga surfando uma boa onda que valeu 7,83, após também somar um 5,50. Mas, foi o brasileiro que ficou mais ativo dentro d´água e aumentou seu placar em duas ondas seguidas que renderam notas 6,93 e 8,20 num tubo seguido por três manobras muito fortes numa boa direita em Willard Beach. Com ela, sacramentou a sua vitória mais importante da carreira por 16,93 a 14,13 pontos, faturando 40.000 dólares de prêmio.

“O início do ano foi muito ruim para mim e mal consegui passar baterias nos eventos do QS 3000 e QS 6000”, contou Jack Freestone. “Mas, Ballito é geralmente onde começa o ano e estou muito feliz em conseguir o segundo lugar no primeiro QS 10000 da temporada. Isso significa muito para mim, especialmente aqui em Ballito, onde eu nunca consegui passar de um quinto lugar. Foi um ótimo resultado, agora estou em quinto no ranking e de volta na briga por vaga no CT”.

Peterson Crisanto (Foto: @WSL / Kelly Cestari)
O australiano já conquistou o bicampeonato mundial Pro Junior e fez parte da elite da World Surf League até o ano passado. Ele chegou na África do Sul em 158.o no ranking e agora é o quinto colocado. Para chegar na grande final, Jack Freestone primeiro derrotou o neozelandês Ricardo Christie, que também entrou na lista dos dez indicados pelo QS para completar os top-34 do CT. Depois, ganhou a semifinal australiana com Wade Carmichael para assumir a quinta posição na classificação geral das 36 etapas completadas neste sábado.

NOVIDADES NO G-10 – Além dos finalistas e de Ricardo Christie, mais um surfista ingressou no G-10 em Ballito, o paulista Thiago Camarão, que perdeu o duelo brasileiro das quartas de final para o campeão Peterson Crisanto. O atual campeão sul-americano da WSL South America saltou da 58.a para a décima posição no ranking com o quinto lugar na África do Sul. Os quatro tiraram da lista os brasileiros Alex Ribeiro e Miguel Pupo, o italiano Leonardo Fioravanti e o sul-africano Matthew McGillivray.

Thiago Camarao (Foto: @WSL / Kelly Cestari)
O Brasil continua ocupando metade das vagas do G-10 para o CT 2019. Peterson Crisanto assumiu a liderança do ranking que estava com Alejo Muniz. O catarinense caiu para a quarta posição e o ex-vice-líder, Deivid Silva, desceu para o sexto lugar. Depois, vem Thiago Camarão em décimo e em 11.o o potiguar Jadson André, que está fechando a lista no momento porque o número 3 do ranking, Mikey Wright, vai garantindo sua vaga entre os 22 primeiros do CT que dispensam a classificação pelo QS.

PRÓXIMAS ETAPAS – Depois do Ballito Pro, serão disputadas algumas etapas menores com status QS 1000 e QS 1500 na Indonésia, Japão e México, antes do próximo evento com pontuação máxima do WSL Qualifying Series 2018, o QS 10000 Vans US Open of Surfing, de 30 de julho a 5 de agosto em Huntington Beach, na Califórnia, Estados Unidos. No entanto, todas as atenções continuam voltadas para a África do Sul, onde nesta segunda-feira começa o sexto desafio do World Surf League Championship Tour, o Corona Open J-Bay nas direitas de Jeffreys Bay, que ano passado foi vencido pelo brasileiro Filipe Toledo.

Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados do QS 10000 Ballito Pro podem ser acessadas na página do evento no www.worldsurfleague.com que transmitiu toda a competição ao vivo da África do Sul.

Peterson Crisanto (Foto: @WSL / Kelly Cestari)
SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 10000 BALLITO PRO:

Campeão: Peterson Crisanto (BRA) por 16,93 pontos (8,73+8,20) – 10.000 pontos e US$ 40.000

Vice-campeão: Jack Freestone (AUS) com 14,13 pontos (7,83+6,30) – 8.000 pontos e US$ 20.000

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.500 pontos e US$ 11.000 de prêmio:

1.a: Jack Freestone (AUS) 12.03 x 10.10 Wade Carmichael (AUS)

2.a: Peterson Crisanto (BRA) 16.43 x 14.60 Seth Moniz (HAV)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 5.200 pontos e US$ 7.000:

1.a: Wade Carmichael (AUS) 16.90 x 11.84 Griffin Colapinto (EUA)

2.a: Jack Freestone (AUS) 13.34 x 12.80 Ricardo Christie (NZL)

3.a: Seth Moniz (HAV) 13.60 x 11.24 Krystian Kymerson (BRA)

4.a: Peterson Crisanto (BRA) 13.36 x 12.20 Thiago Camarão (BRA)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES – após 36 etapas:

1.o: Peterson Crisanto (BRA) – 13.720 pontos

2.o: Seth Moniz (HAV) – 12.950

3.o: Mikey Wright (AUS) – 12.205

4.o: Alejo Muniz (BRA) – 10.980

5.o: Jack Freestone (AUS) – 9.720

6.o: Deivid Silva (BRA) – 9.400

7.o: Ryan Callinan (AUS) – 9.280

8.o: Evan Geiselman (EUA) – 9.210

9.o: Ricardo Christie (NZL) – 8.555

10: Thiago Camarão (BRA) – 8.265

11: Jadson André (BRA) – 8.210

——–próximos sul-americanos até 100:

12: Alex Ribeiro (BRA) – 8.130 pontos

14: Miguel Pupo (BRA) – 7.770

30: Lucca Mesinas (PER) – 5.750

34: Marco Fernandez (BRA) – 5.470

35: Miguel Tudela (PER) – 5.460

37: Victor Bernardo (BRA) – 5.270

39: Krystian Kymerson (BRA) – 5.200

41: Jeronimo Vargas (BRA) – 5.060

43: Michael Rodrigues (BRA) – 4.800

44: Ian Gouveia (BRA) – 4.750

47: Weslley Dantas (BRA) – 4.690

49: Mateus Herdy (BRA) – 4.660

50: Flavio Nakagima (BRA) – 4.610

51: Bino Lopes (BRA) – 4.565

53: Jessé Mendes (BRA) – 4.500

54: Tomas Tudela (PER) – 4.440

55: Wiggolly Dantas (BRA) – 4.390

62: Willian Cardoso (BRA) – 3.950

65: Rafael Teixeira (BRA) – 3.860

67: Marcos Correa (BRA) – 3.715

68: Yago Dora (BRA) – 3.700

80: Samuel Pupo (BRA) – 3.285

81: Alonso Correa (PER) – 3.235

83: Santiago Muniz (ARG) – 3.140

86: Luel Felipe (BRA) – 3.100

93: Marco Giorgi (URU) – 2.890

96: Yuri Gonçalves (BRA) – 2.870

98: Tomas Hermes (BRA) – 2.800

99: Vitor Mendes (BRA) – 2.720

Comentários

comentários

Compartilhe