Ezekiel Lau Leva o Vans World Cup of Surfing em Sunset

Ezekiel Lau Leva o Vans World Cup of Surfing em Sunset

Ezekiel agradecendo a vitória como local da terra. Foto: ASP/Kristin

Circuito ASP-Havaí

O havaiano Ezeqkiel Lau conquistou no sábado, 02, a segunda etapa da Tríplice Coroa Havaiana – Vans World Cup of Surfing – na praia de Sunset. O evento foi válido pela última etapa Prime do Circuito WQS da ASP. O carioca Raoni Monteiro foi um dos destaques do evento, ficando em terceiro lugar, atrás do estadunidense Damien Hobgood, e na frente do português Frederico Morais, premiado como o estreante do ano da Vans Triple Crown of Surfing. Raono conseguiu ficar entre os melhores surfistas do mundo e classificou para o circuito 2014, embora tenha disputado a temporada inteira do World Tour sem patrocínios. 



Tubo da vitória de Ezekiel Lau. Foto: ASP/Kristin

Brasil Classificado 

Adriano de Souza, Filipe Toledo, Gabriel Medina, Alejo Muniz e Jadson André também foram confirmados para seguir na briga pelo título mundial na primeira divisão da ASP. , mesmo competindo a temporada inteira sem patrocínios. O havaiano Ezekiel Lau ganhou o último ASP Prime do ano e o norte-americano Damien Hobgood ficou em segundo lugar, com Raoni Monteiro em terceiro e em quarto o português Frederico Morais, que foi premiado como o estreante do ano na Tríplice Coroa Havaiana.

“Eu ganhei este evento em 2010 e quase ganhei de novo, cheguei muito perto disso e estou muito feliz por fazer outra final aqui em Sunset Beach”, disse Raoni Monteiro. “Foi um ano difícil pra mim pela falta de patrocínio, mas quero agradecer a toda minha família e os meus amigos, bem como toda a torcida que fica mandando boas vibrações para mim. Consegui o objetivo, que era a vaga no WCT”.

Raoni encara WT em 2014. Foto: Kelly Cestari/ASP


Raoni começou melhor na grande final com nota 7,83 em sua primeira apresentação. Liderou a bateria desde o início, até a reação fulminante do havaiano nos minutos finais. Ela começou com a nota 6,83 que Ezekiel Lau recebeu quando restavam 10 minutos. Faltando 2 minutos, ele achou uma onda da série para surfar um lindo tubo e ainda mandar um grande arco na saída para receber nota 8,67 dos juízes e festejar o título por 15,50 pontos. Nos segundos finais, Damien Hobgood pega outra onda boa, ganha 7,80 e também ultrapassa o brasileiro, que caiu do primeiro para o terceiro lugar.

“Na verdade, eu estou me sentindo supercansado porque foi um longo dia”, contou Raoni Monteiro. “Acho que surfei umas quatro baterias numa condição bem difícil do mar, mas não estava pensando em pressão, só em surfar bem cada onda, fazer o melhor em cada bateria. Eu sabia que precisava de um bom resultado pra me classificar pro WCT, então eu tinha que conseguir este resultado e deu tudo certo, estou feliz por isso”.

Mar de gala em Sunset garantiu o show de surf.  Foto: ASP/Kristin


VAGAS NO WCT 2014 
O domingo decisivo da Vans World Cup foi de chuva no North Shore da ilha de Oahu com vento maral forte e ondas de 3-5 pés no mar difícil em Sunset Beach. As oitavas de final começaram com dez surfistas buscando as últimas vagas na lista dos dez indicados pelo ASP World Ranking para completar o grupo dos top-32 para o WCT 2014. Os ameaçados eram o norte-americano Brett Simpson em oitavo no G-10, o australiano Mitchel Coleborn em nono e principalmente o brasileiro Willian Cardoso por ser o último entre os 32 primeiros colocados no ranking.


O australiano Jay Thompson caiu logo no primeiro confronto do dia, mas no segundo o costa-ricense Carlos Muñoz derrotou três havaianos para seguir com chances de entrar na elite do surfe mundial. Raoni Monteiro venceu a disputa seguinte e já ingressou no G-10 ultrapassando até Mitchel Coleborn, com o catarinense Willian Cardoso saindo da zona de classificação para o WCT no Havaí pelo terceiro ano consecutivo. O paulista Wiggolly Dantas também tinha chance matemática, mas o português Frederico Morais impediu a dobradinha brasileira.


Outro paulista, Caio Ibelli, saiu da briga na quarta bateria, não achando as ondas para repetir as boas atuações que o levaram até as oitavas de final. Dos dez concorrentes às três vagas no G-10 do ranking unificado, além de Raoni Monteiro e Carlos Muñoz, só mais dois avançaram para as quartas de final, o australiano Wade Carmichael e o havaiano Kiron Jabour. Eles passaram juntos na sexta bateria, tirando outro concorrente direto, o brasileiro Krystian Kymerson, e o norte-americano Dane Reynolds.



Ezekiel levanta a taça. Foto: ASP/Kristin


COMBINATION DE ALEJO EM SLATER E NO CAMPEÃO

Antes disso, o catarinense Alejo Muniz fez uma das melhores apresentações do domingo, atacando as direitas com manobras potentes de frontside em Sunset Beach. Na melhor onda ganhou nota 9,10 para aplicar uma “combination” de 16,10 pontos nos três adversários. Um deles era o supercampeão Kelly Slater, que ficou em último. Dois havaianos brigaram pela segunda vaga e Ezekiel Lau quase perde para Torrey Meister, levando a melhor por 10,47 a 10,34 pontos. Esses décimos de diferença poderiam mudar a história do campeonato.

Nas quartas de final acabou o sonho de WCT para mais três surfistas. Carlos Muñoz saiu na primeira bateria em mais uma vitória de Frederico Morais sobre John John Florence, como na estreia do havaiano em Sunset no sábado. O confronto seguinte foi entre quatro tops da elite do ASP Tour e o atual campeão da Vans World Cup, Adam Melling, venceu com Raoni Monteiro barrando o defensor do título da Tríplice Coroa Havaiana, Sebastian Zietz, e o australiano Bede Durbidge.

DOBRADINHA AMERICANA NOS BRASILEIROS

Já Alejo Muniz não conseguiu impedir a segunda dobradinha norte-americana de Damien Hobgood com Tim Reyes em Sunset Beach. Na terceira fase eles despacharam Gabriel Medina e Peterson Crisanto, agora foi Alejo Muniz e ainda acabaram com as chances de WCT para o australiano Wade Carmichael. Na última quarta de final, o campeão Ezekiel Lau passou sufoco de novo pra se classificar, ganhando por pouco – 15,46 a 14,57 pontos – do também havaiano Olamana Eleogram a briga pelo segundo lugar na vitória do australiano Taj Burrow.

Frederico Moraes com estilo e radicalidade em Sunset. Foto: ASP/Kristin


Nas semifinais, Raoni Monteiro e Frederico Morais repetiram a dobradinha das oitavas sobre John John Florence e Adam Melling, mas a americana foi desfeita por Ezekiel Lau, que novamente passou em segundo no confronto vencido por Damien Hobgood. Aliás, a única bateria que o havaiano venceu no domingo foi a que decidiu o título da Vans World Cup of Surfing, que valeu um prêmio de 40 mil dólares e 6.500 pontos que o levaram da 73.a para a 35.a posição no ASP World Ranking.

WCT NO ASP WORLD RANKING
Agora só falta o Billabong Pipe Masters para fechar a temporada 2013 da ASP em Banzai Pipeline, de 8 a 20 de dezembro. O resultado ainda pode alterar o G-10 do ASP World Ranking, com os australianos Dion Atkinson e Mitchel Coleborn tendo suas vagas ameaçadas por quatro surfistas que vão pontuar no último desafio da Tríplice Coroa Havaiana, os brasileiros Miguel Pupo e Willian Cardoso, o americano Damien Hobgood e o havaiano Dusty Payne.

Neste ano, os top-34 podem computar até dois resultados do WCT entre os seis do ASP World Ranking. Além disso, somente para quem ganhar no mínimo duas baterias nas etapas do Dream Tour da ASP nas melhores ondas do mundo. As novas regras foram estabelecidas para equilibrar o peso dos resultados com as etapas do ASP World Prime e do ASP World Star. Até o ano passado eles levavam vantagem somando até os 500 pontos do último lugar no WCT e os 1.750 pontos de quem vencesse uma bateria, na primeira fase ou na repescagem. Agora, só a partir de 4.000 pontos, para quem passar da terceira rodada das competições.

No ASP Prime de Sunset Beach, o português Frederico Morais teve que disputar seis baterias para conseguir os mesmos 4.000 pontos na grande final da Vans World Cup of Surfing. Enfrentou as variadas e sempre difíceis condições do mar em Sunset Beach e superou grandes adversários, tops da elite como o havaiano John John Florence a quem derrotou duas vezes e Raoni Monteiro em duas baterias no domingo vencidas pelo brasileiro. A primeira foi quando o carioca confirmou sua permanência no WCT e o português ganhou a briga pela segunda vaga do paulista Wiggolly Dantas. E na semifinal despacharam o próprio John John Florence e o australiano Adam Melling, que defendia o título de campeão da World Cup em Sunset.

—————————————————————————————-
Texto:
João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ASP South America – 
—————————————————————————————-

FINAL DO ASP PRIME VANS WORLD CUP OF SURFING:

Campeão: Ezekiel Lau (HAV) por 15,50 pontos (notas 8,67+6,83) – US$ 40.000 e 6.500 pontos

Vice-campeão: Damien Hobgood (EUA) com 14,30 (7,80+6,50) – US$ 20.000 e 5.200 pontos

Terceiro lugar: Raoni Monteiro (BRA) com 12,33 (7,83+4,50) – US$ 12.000 e 4.450 pontos

Quarto lugar: Frederico Morais (PRT) com 7,16 (6,33+0,83) – US$ 10.000 e 4.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o=5.o lugar (US$ 7.500 e 3.400 pts) / 4.o=7.o lugar (US$ 4.750 e 2.200 pts):

1.a: 1-Raoni Monteiro (BRA), 2-Frederico Morais (PRT), 3-John John Florence (HAV), 4-Adam Melling (AUS)

2.a: 1-Damien Hobgood (EUA), 2-Ezekiel Lau (HAV), 3-Taj Burrow (AUS), 4-Tim Reyes (EUA)

QUARTAS DE FINAL – 3.o=9.o lugar (US$ 5.250 e 2.400 pts) / 4.o=13.o lugar ($ 4.750 e 2.200 pts):

1.a: 1-Frederico Morais (PRT), 2-John John Florence (HAV), 3-Ian Gentil (HAV), 4-Carlos Muñoz (CRI)

2.a: 1-Adam Melling (AUS), 2-Raoni Monteiro (BRA), 3-Sebastian Zietz (HAV), 4-Bede Durbidge (AUS)

3.a: 1-Damien Hobgood (EUA), 2-Tim Reyes (EUA), 3-Wade Carmichael (AUS), 4-Alejo Muniz (BRA)

4.a: 1-Taj Burrow (AUS), 2-Ezekiel Lau (HAV), 3-Olamana Eleogram (HAV), 4-Kiron Jabour (HAV)

OITAVAS DE FINAL – 3.o=17.o lugar (US$ 2.750 e 1.300 pts) / 4.o=25.o lugar ($ 2.250 e 1.200 pts):

1.a: 1-Ian Gentil (HAV), 2-Adam Melling (AUS), 3-Jay Thompson (AUS), 4-Hank Gaskell (HAV)

2.a: 1-Carlos Muñoz (CRI), 2-Sebastian Zietz (HAV), 3-Ian Walsh (HAV), 4-Makuakai Rothman (HAV)

3.a: 1-Raoni Monteiro (BRA), 2-Frederico Morais (PRT), 3-Wiggolly Dantas (BRA), 4-Kalani Chapman (HAV)

4.a: 1-Bede Durbidge (AUS), 2-John John Florence (HAV), 3-Gavin Gillette (HAV), 4-Caio Ibelli (BRA)

5.a: 1-Alejo Muniz (BRA), 2-Ezekiel Lau (HAV), 3-Torrey Meister (HAV), 4-Kelly Slater (EUA)

6.a: 1-Wade Carmichael (AUS), 2-Kiron Jabour (HAV), 3-Krystian Kymerson (BRA), 4-Dane Reynolds (EUA)

7.a: 1-Taj Burrow (AUS), 2-Damien Hobgood (EUA), 3-Beyrick De Vries (AFR), 4-Ricardo Christie (NZL)

8.a: 1-Olamana Eleogram (HAV), 2-Tim Reyes (EUA), 3-Fredrick Patacchia (HAV), 4-Joel Centeio (HAV)



G-32 DO ASP WORLD RANKING PARA OS TOP-34 DO WCT 
– 38 etapas – 9 do WCT, 8 Prime e 21 do ASP Star:

1.o: Julian Wilson (AUS) – 28.405 pontos e Top-06 do WCT 2013

2.o: Adriano de Souza (BRA) – 26.720 e Top-12 do WCT

3.o: Jordy Smith (AFR) – 25.720 – Top-04

4.o: Michel Bourez (TAH) – 25.420 – Top-11

5.o: Josh Kerr (AUS) – 25.165 – Top-08

6.o: Kelly Slater (EUA) – 22.500 – Top-02

7.o: Gabriel Medina (BRA) – 22.225 – Top-16

8.o: Adrian Buchan (AUS) – 22.075 – Top-15

9.o: Nat Young (EUA) – 21.920 – Top-09

10: Joel Parkinson (AUS) – 21.880 – Top-03

11: Mick Fanning (AUS) – 21.416 – líder do WCT

12: Adam Melling (AUS) – 21.020 e 1.o do G-10

13: Taj Burrow (AUS) – 20.280 e Top-05

14: Jeremy Flores (FRA) – 19.775 – Top-18

15: Kolohe Andino (EUA) – 19.525 e 2.o do G-10

16: C. J. Hobgood (EUA) – 19.420 – Top-10

17: Filipe Toledo (BRA) – 19.320 – Top-14

18: Fredrick Patacchia (HAV) – 19.080 – Top-19

19: Sebastian Zietz (HAV) – 18.900 – Top-17

20: Alejo Muniz (BRA) – 18.360 e 3.o do G-10

21: Jadson André (BRA) – 18.320 e 4.o do G-10

22: John John Florence (HAV) – 17.800 – Top-13

23: Kai Otton (AUS) – 17.640 – Top-07

24: Mitch Crews (AUS) – 16.730 e 5.o do G-10

25: Bede Durbidge (AUS) – 15.325 – Top-21

26: Aritz Aranburu (ESP) – 14.780 e 6.o do G-10

27: Raoni Monteiro (BRA) – 14.675 e 7.o do G-10

28: Travis Logie (AFR) – 14.150 e 8.o do G-10

29: Matt Wilkinson (AUS) – 13.650 – Top-20

30: Dion Atkinson (AUS) – 13.500 e 9.o do G-10

31: Brett Simpson (EUA) – 13.100 – Top-22

32: Mitchel Coleborn (AUS) – 12.250 e 10.o do G-10

————–sul-americanos até 100.o lugar:

33: Willian Cardoso (BRA) – 11.760 pontos

39: Miguel Pupo (BRA) – 10.300

46: Tomas Hermes (BRA) – 9.010

51: Caio Ibelli (BRA) – 8.110

53: Peterson Crisanto (BRA) – 7.925

55: Krystian Kymerson (BRA) – 7.706

57: Wiggolly Dantas (BRA) –7.540

63: Jessé Mendes (BRA) – 6.498

64: David do Carmo (BRA) – 6.458

77: Marco Fernandez (BRA) – 4.836

80: Jean da Silva (BRA) – 4.623

85: Messias Felix (BRA) – 4.220

88: Heitor Alves (BRA) – 4.100

95: Hizunomê Bettero (BRA) – 3.800

99: Alex Ribeiro (BRA) – 3.678

100: Gabriel Villarán (PER) – 3.612

102: Santiago Muniz (ARG) – 3.429

103: Simão Romão (BRA) – 3.404

Comentários

comentários

Compartilhe