Lucas Silveira em Puerto Escondido

Lucas Silveira em Puerto Escondido

BIG SWELL//

No início do mês de julho, entre os dias 4 a 6, o swell entrou com força no México, mais precisamente em Puerto Escondido. Destino certo dos maiores big riders do planeta e, entre eles, o carioca Lucas Silveira que aos 18 anos de idade encarou a pressão dos tubos mexicanos.

“Fui para Puerto esperando ondas de até 10 pés, que não são grandes, mas a previsões mudaram e a expectativa era de um swell de 20 pés. Como estava com pranchas pequenas, pedi ao meu pai que me enviasse maiores (9’6 e 7’11) e o meu colete. O dia mais insano deu ondas maiores que 20 pés havaianos”, lembrou Silveira.

Muitos surfistas chegaram e outros saíram, mas alguns profissionais ficaram para assistir a condições realmente extremas. Entre os que encararam estavam nomes como Shane Dorian, Mark Healey, Greg Long, Rusty Long, Gabriel Villaran, Skin Dog, Ricardo dos Santos, Marco Giorgi, Alex Chacon, Yuri Gonçalves, Pedro Calado, Nelson Pinto, Pedro Manga, Angelo Lozanno, Coco Nogales e Oscar Moncada.

De acordo com Alexandre Silveira, pai do atleta, a ansiedade e tensão eram grandes desde a previsão de entrada do swell, nos momentos que antecederam as sessões dentro d’água e durante os preparativos com pranchas, coletes, etc.

“No dia anterior, o Lucas parecia uma criança chegando a um parque de diversões. A alegria estava estampada em seu rosto, já ao acordar ainda à noite e é um dos primeiros a entrar no outside. Neste dia, as ondas estavam um pouco menores que 15 pés”, lembrou Alexandre.

As ondas de Puerto Escondido são mesmo fortes e pesadas em meio a um cenário sinistro, entre câmeras e pessoas para todos os lados gritando com os tubos, vacas e dezenas de pranchas quebradas.

Nem mesmo os imprevistos, com as pranchas quebradas, e dificuldades de uma das ondas mais pesadas do planeta tiram a alegria e entusiasmo do atleta. No segundo dia, as previsões apontavam que o mar cresceria ainda mais e lá estava Lucas Silveira pronto de madrugada com sua 9’6 para encarar boas ondas de 20 pés, e naturalmente algumas vacas.

A dedicação aos treinos e preparação física dá resultado e ele não demora muito varando a arrebentação. Em uma das bombas a espuma rasga o seu colete, mas ele sai da água e volta com outro emprestado e às vezes sem. A loja do Miguel (bem conhecido em Puerto) salva o dia de surf após mais uma prancha quebrada, uma sessão de vacas, um show de atitude, coragem e técnica.

Lucas Silveira surfou em média oito horas por dia, nestas condições. Sem dúvidas, todos o reconheceram como um dos destaques do swell.

“Eu adoro surfar qualquer tipo de onda, mas a minha grande paixão é por ondas grandes e pesadas. Eu realmente me sinto muito a vontade nestas condições e consegui aproveitar bastante o swell. Estou muito feliz”, disse Lucas.

SOBRE O ATLETA
O Lucas Silveira tem apenas 18 anos e quase 10 de surf. Adora surfar qualquer tipo de onda, mas tem uma paixão por ondas grandes e fortes. É reconhecido desde pequeno como o surfista mais destemido da novíssima e agora nova geração, pois se sente muito a vontade em condições extremas. Além de aptidão e coragem, tem consciência de buscar treinamento contínuo para aumentar sua resistência, através de atividades como apnéia, natação, funcional, Yôga, Bio mecânica, fisioterapia e jiujitsu.
Ondas que mais gosta: Pipeline, Theahupoo, Cloudbreak, Desert Point, Jaws, Waimea, El Gringo, Puerto Escondido. No Brasil gostou muito da Barrinha em Saquarema que passou a quebrar grande depois das obras dos moles.

Texto: Viviane Freitas

Jornalista 

Imagens:
Alexandre Silveira
Daniel Nava
Nelson Pinto
derivamag.com
facebook.com/derivamag
@deriva_mag

Comentários

comentários

Compartilhe